A diferença entre mal e mau: como decorar?

A diferença entre mal e mau: como decorar?
Falar o português corretamente nos dias atuais não é algo raro ou que apenas pouquíssimas pessoas tem essa oportunidade. Na verdade, com o advento da internet, não há mais desculpas para aprender a língua corretamente, seja para escrever, falar ou até mesmo ensinar outras pessoas.
Um dos erros mais comumente cometidos é a confusão entre mau e mal, que pode causar discordância em várias frases, problemas de entendimento e tantos outros. Por isso, hoje você vai aprender de uma vez por todas como utilizar corretamente essas duas palavras tão usadas diariamente na língua portuguesa.
Primeiramente, o mal com a letra “l”, é usado quando falamos do contrário de bem. Conhecido como um advérbio, geralmente vem em conjunto com um verbo. Ele é usado mais em casos para descrever doenças e algo que é perigoso, nocivo.


Já o mau com a letra “u” no final é utilizado para descrever o contrário de bom. Sinalizando aquilo que não é perfeito e em alguns casos ruim, dá característica para algo ou alguém.
Para que você sempre se lembre em casos necessários, procure trocar a palavra da frase que irá ter mal ou mal, por bom ou por bem. Desse modo, você tira sua dúvida, aprende e não vai errar nunca mais.
Ou regra muito utilizada e ensinada em colégios é o famoso bemele ou bomu. Onde bom termina com u, sendo usada a letra final no mau. Assim como bemele, onde seu contrário é mal com a letra L.
São pequenas regrinhas que parecem bobas, porém quando utilizadas diariamente, você vai decorando tudo que é necessário para não errar mais na língua portuguesa.
Tire sempre suas dúvidas sobre a gramática ou escrita portuguesa, somente assim você poderá implementar cada vez mais seu conhecimento e a maneira como escreve. Acompanhe nosso blog para receber informações completas.
Read More

As dicas que as pessoas devem saber antes de aprender português.

As dicas que as pessoas devem saber antes de aprender português.
Então, você decidiu começar a aprender português e quer descobrir o quão fácil ou difícil se aprofundar no aprendizado dessa língua? Há boas e más notícias para ti. A má notícia é que ninguém pode realmente dizer-lhe o que você vai encontrar difícil sobre o português ou qualquer outra língua. A maioria da aprendizagem de línguas resume-se à motivação e perseverança do aluno, que é o que realmente decide se você vai se tornar fluente, ou desistir.
A boa notícia é que para os falantes de inglês, o português é realmente amplamente considerado como uma das línguas mais fáceis de aprender. O Instituto de serviços estrangeiros lista o português entre as suas línguas de Categoria I – as mais fáceis–, juntamente com o espanhol, o francês e o italiano, para citar alguns. Eles estimam que deve levar cerca de 600 horas para aprender, mas, novamente, tudo isso é completamente subjetivo e realmente importa pouco para sua experiência pessoal.

O português é membro das línguas românicas, que pertencem à família das línguas Indo-europeias, juntamente com as línguas germânicas – o que significa que o inglês e o português têm uma quantidade surpreendente em comum. Se você já sabe um pouco de francês, italiano ou espanhol, ainda melhor! Esses são outros membros das línguas românicas, e você vai ter certeza de encontrar ainda mais semelhanças com o português.
O português hoje tem um amplo alcance global-tem cerca de 250 milhões de falantes nativos, e é muitas vezes considerado como a sexta língua mais falada nativamente. Devido às atividades expansionistas dos portugueses durante os tempos coloniais, é hoje uma língua importante e amplamente falada na América Latina, áreas do Pacífico e partes da África.
Portugal e o Brasil podem ser considerados os dois países de língua portuguesa mais influentes. Portugal como o exportador original da língua, e o Brasil devido ao seu maior número de falantes nativos. Existem também algumas diferenças na forma como a língua é usada em qualquer um dos países. Se você está pensando em começar suas aulas de português, pode ser bom ter um minuto para considerar esses dialetos antes de escolher qual aprender.
A boa notícia é que o português brasileiro e europeu ainda são a mesma língua. Por exemplo, enquanto o árabe pode ter diferenças tão gritantes entre os dialetos regionais que o tornam ininteligível, dois falantes de português ainda devem ser capazes de se entender uns aos outros, apesar de serem de lados opostos do Atlântico. Dito isto, existem algumas diferenças entre a forma como os Europeus e os brasileiros pronunciam as suas palavras.
Além disso, há algumas irregularidades no discurso formal e informal. Enquanto em Portugal, as pessoas usam o "tu" apenas em situações informais com seus amigos ou família e "você" é reservado para os mais formais, os Brasileiros fazem mais uso liberal de "você", misturando a ordem informal e formal.
Há também algumas diferenças na gramática e ortografia, mas em geral, as duas versões têm mais em comum do que separadas. Então, quando você está decidindo qual dialeto aprender, tome um momento para ouvir ambas as versões sendo faladas, considere qual língua ou cultura parece mais atraente para você, e assuma seus riscos a partir daí.
Read More